sábado, 7 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento revolucionário.













O mundo é tudo. Ele nos leva, e nos sustenta. Com ele evoluímos como humanidade em direção ao futuro. Mas, porém, o mundo também não entendemos. Um mundo louco e sem limites, em que pouco é muito, e tudo é nada. E pensando nisso tudo, podemos perguntar: "O que realmente é revolução"? Pois se o amor é algo absoluto e perfeito, o que temos pela dualidade do mundo é imperfeito. E na verdade, o que poderia realmente mudar isso? Com certeza a resposta seria uma revolução que mudaria tudo mesmo. E nesse novo milênio, esse é o maior mito que a humanidade já inventou.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento messiânico.













Um caminho na vida pode ser muito. Pode ser uma filosofia de vida. Mas podemos entender que o melhor de todos os caminhos, é o messianismo. Pois esse é um caminho que leva a espiritualidade como um princípio a ser seguido. E quando falo de espiritualidade, é a conexâo com algo divino que podemos chamar de "Deus". Mas, no entanto, esse mesmo messianismo também não é um caminho, e sim uma crença. Ou seja, significa um ser enviado por "Deus" com poderes para mudar o mundo. E nessas duas crenças, o bem é perfeito.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento universal.













O universo sempre vemos como algo material, e grandioso. E essa visão embora esteja certa, não é a visão real sobre o cosmos. Ou seja, o universo por ser muito antigo e mudar sempre, é na verdade pura energia. E não somente as estrelas são assim, mas tudo que nele existe. Para compreender melhor esse fato, podemos analisar uma bola de qualquer jogo. Quer dizer, uma bola pode nunca parar se for jogada para o infinito do universo. E dessa forma ela viraria pura energia. O fato de não vermos uma lua, ou planeta da mesma forma, é um apego com as aparências.  Ou seja, o universo é um espírito.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento reflexivo.













O ser humano é um ser único. Que possui características únicas. Mas para muitos humanos possuímos diferenças. Ou seja, maneiras diferentes de ser que nos classificam como únicos no mundo. Daí a visão de diferenças entre os sexos. Mas, uma diferença não deve ser vista como uma definição, mas na verdade como uma descoberta de um lado da vida que não conhecemos. Ou seja, algo diferente é unicidade. Um caminho. Por isso, toda relação humana é um benefício, e um aprendizado nunca acabado.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento belo.













Estamos entrando em um novo estágio de tempo. Um estágio onde faremos realmente nossas escolhas e atitudes refletirem um estado interior mais verdadeiro. Pois na humanidade atual sempre vivemos hora em mundos coletivos, hora em mundos separados, onde nunca refletimos realmente uma vontade interior de forma completa. E sim de forma incompleta. E quando nos unirmos mais uns aos outros, seremos completos de forma individual, e coletiva. Seremos realmente um só ser de forma espiritual, como muitos já imaginaram. Mas, no entanto, se já estamos desejando tudo isso, então uma nova era agora começou.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento iluminado.













A natureza humana e do mundo é a real beleza da vida. Podemos sentir que o ser humano evolúi de tempos em tempos, e aprende a ser mais verdadeiro e sério com os outros. Isso provavelmente acontece, pois possuímos um centelha divina em nossa natureza espiritual, e mental, e todos os problemas passam a ser transcendidos por nossa energia astral. E sabendo disso, podemos confiar muito mais na humanidade, e que o mundo irá ser bem melhor. Embora também, faz parte desse processo espiritual aprender com os erros, e fazer bem melhor no futuro com nossas escolhas pessoais.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Reentrando na crista do momento sábio.













Na vida em comum almejamos a dita felicidade, que significa uma forma completa de plenitude. Mas nesse caminho em que o tempo passa, vamos perdendo o poder e o controle que tínhamos no passado. Isso se deve ao fato de que a vida e o mundo estão além do que decidimos viver. Pois tudo muda com o tempo. Assim também temos que nos reciclar, se não ficamos no meio do caminho. E assim com esse fato, nos deparamos com um dilema. Ou seja, viver se torna ou uma contemplação, ou uma busca. Pois nesse estado todo apenas nos resta fazer um ou outro. Assim muitas vezes se algo como o amor está em jogo, ou o aceitamos e ficamos felizes, ou não o sentimos e passamos a buscar outra realidade. Mas descobrir esse dilema significaria descobrir também a vida, e por que a vivemos.